Atleta paraolímpico sul-africano Oscar Pistorius, acusado de matar a namorada, contesta a acusação

Oscar Pistorius deixa corte em Pretória após acusação de assassinato (Foto: AFP)Atleta nega intenção de matar namorada 'nos termos mais fortes possíveis'. Modelo foi atingida por quatro tiros na casa do corredor na África do Sul.

O atleta sul-africano Oscar Pistorius contesta a acusação de assassinato feita contra ele nesta sexta-feira (15) "nos termos mais fortes possíveis", indicou seu agente em um comunicado.

Pistorius foi formalmente acusado pelo assassinato de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, em um tribunal de Pretória nesta sexta. Ele  não conteve as lágrimas e chorou enquanto ouvia as acusações.

Ele tentou cobrir o rosto - assim como ao chegar ao tribunal - e manteve o olhar voltado para baixo. O corredor foi preso pela morte da namorada na quinta-feira (14).

Após a acusação formal, o juiz Desmond Nair suspendeu até terça-feira (19) a audiência na qual a defesa de Pistorius pedirá sua liberdade sob fiança, para dar "tempo à defesa para investigar e estar em melhor posição em suas petições". Ele também determinou que o atleta deverá permanecer em custódia da polícia até a data.

A promotoria vai argumentar que o astro internacional do esporte olímpico e paralímpico  cometeu um crime premeditado ao assassinar a namorada em sua casa de luxo, disseram os promotores à corte nesta sexta.

Durante a audiência na corte, Pistorius não disse nada. Seu pai, Henke, e seu irmão, Carl, ficaram sentados imediatamente atrás dele no plenário lotado, e ocasionalmente se inclinavam para lhe fazer carinho nas costas.

Segundo a imprensa local, a modelo foi baleada quatro vezes, e os tiros atravessaram a porta de um banheiro da casa do atleta. A vítima foi atingida por quatro impactos de bala de 9 milímetros que a atingiram na cabeça e em uma mão, segundo a polícia.

O jornal “Beeld” relatou nesta sexta que a polícia havia sido chamada para a casa de Pistorius duas horas antes dos disparos, por vizinhos que ouviram o casal discutindo. A polícia foi chamada novamente quando os vizinhos ouviram os disparos.

Oscar Pistorius, com o rosto coberto, é levado de delegacia para a corte de Pretória nesta sexta-feira (15). Ele participa de audiência pela morte de sua namorada (Foto: AP)Oscar Pistorius, com o rosto coberto, é levado de delegacia para a corte de Pretória nesta sexta-feira (15). Ele participa de audiência pela morte de sua namorada (Foto: AP)

Denise Beukes, porta-voz da polícia, não excluiu que tenha havido outros disparos que não atingiram a modelo, na luxuosa casa de Pistorius em um condomínio de luxo em Pretória.

A arma, segundo ela, estava registrada em nome de Pistorius, um corredor biamputado que é considerado um dos maiores astros do esporte olímpico e paralímpico.

'Surpresa'
A morte da modelo ocorreu na casa do atleta, no sofisticado condomínio fechado de Silverlakes.

A imprensa relatou que Pistorius teria confundido a mulher com um ladrão quando ela chegava sem avisar à casa para fazer uma "surpresa" de Dia dos Namorados.

Mas a polícia descartou ter divulgado essa versão de morte acidental.

A polícia também afirmou que houve "incidentes prévios" e "acusações de natureza doméstica" na casa do corredor.

As autoridades afirmaram disse que o suspeito e a vítima eram as únicas pessoas na casa na hora do incidente, ocorrido às 4h.

Segundo a porta-voz Denise Beukes, várias pessoas que estavam no condomínio foram interrogadas a respeito do incidente.

Em foto de Agosto de 2012, Pistorius participa das Paralimpíadas de Londres (Foto: Dylan Martinez/Arquivo/Reuters)Em foto de Agosto de 2012, Pistorius participa das Paralimpíadas de Londres

'Blade Runner'
Pistorius corre utilizando próteses de fibra de carbono nas duas pernas, o que lhe valeu o apelido de "Blade Runner".

Ele entrou para a história do atletismo mundial nos Jogos Olímpicos de Londres, ao ser o primeiro campeão paralímpico a participar de uma edição de Jogos Olímpicos.

O atleta chegou às semifinais dos 400 metros. Semanas mais tarde, ele conquistou o ouro na mesma prova nos Jogos Paralímpicos.

Na prova dos 200 metros paralímpicos, Pistorius foi surpreendentemente derrotado pelo brasileiro Alan Fonteles.

Quatro anos antes, em Pequim 2008, Pistorius havia conquistado três medalhas de ouro: nos 100, 200 e 400 metros.

Pistorius é considerado um herói nacional na África do Sul.

A estimativa é de que ele ganhe US$ 2 milhões por ano em patrocínios como o da marca de materiais esportivos Nike.

A TV a cabo M-NET, da África do Sul, disse que está retirando os anúncios apresentando Pistorius do ar "imediatamente" por conta do incidente.

Namoro de um ano
Reeva Steenkamp estava namorando Pistorius há um ano. Falando ao jornal "Independent", no último fim de semana, ela descreveu o corredor como um homem de gosto "impecável".

"Seus presentes são sempre muito bem pensados", disse ela.

Colegas de trabalho da modelo disseram estar em choque.

"Estamos todos devastados. A família dela está em choque", disse a agente Sarita Tomlinson à agência Reuters. "Eles tinham um bom relacionamento. Ninguém realmente sabe o que aconteceu."

Violência sul-africana
A África do Sul tem uma das maiores taxas de crimes violentos do mundo.

Algumas pessoas possuem armas em casa para se defender contra assaltos.

Pistorius relatou à imprensa, dias antes, que dormia com uma arma sob a cama por medo de assalto, apesar de morar em um complexo residencial protegido por muros eletrificados de três metros. Ele manteria outras armas em casa.

Ele havia sido preso em 2009 por agressão a uma mulher. Na ocasião, ele passou a noite sob custódia policial. A família e os amigos disseram que tudo não passou de um acidente, e as acusações foram retiradas.

 Oscar Pistorius e Reeva Steenkamp, que seria sua namorada, em cerimônia em Johannesburgo, na África do Sul, em 4 de novembro de 2012 (Foto: AP) Oscar Pistorius e Reeva Steenkamp em cerimônia em Johannesburgo, na África do Sul, em 4 de novembro de 2012 (Foto: AP)

G1 - Oscar Pistorius contesta acusação de assassinato, diz agente - notícias em Mundo