Ex-diretor da Petrobras citado na Operação Lava Jato é preso

Paulo Roberto da Costa foi detido por tentar destruir provas e documentos, que o envolviam ao suposto esquema de lavagem de dinheiro

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quinta-feira, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto da Costa, citado na Operação Lava Jato. Ele foi preso por tentar destruir provas e documentos, que o envolviam ao suposto esquema de lavagem de dinheiro desmontado pela PF nesta segunda-feira.

Durante a operação, a PF fez buscas na casa de Paulo Roberto da Costa e encontrou, em espécie, US$ 180 mil e cerca de R$ 720 mil. A investigação mostra que o ex-executivo tinha ligação próxima com doleiro Alberto Youssef, também preso na operação.

Segundo a PF, Youssef teria dado em março de 2013 uma Land Rover a Paulo Roberto da Costa. O ex-diretor afirmou que ganhou o veículo por serviços de consultoria prestados e que não há relação com o cargo então ocupado na estatal.

Costa também é investigado por supostas irregularidades na compra pela Petrobras da refinaria de Pasadena, no Texas, em 2006.