Polícia Civil realiza operação de combate à lavagem de dinheiro

Polícia Civil realiza operação de combate à lavagem de dinheiro

Polícia Civil realiza operação de combate à lavagem de dinheiro - Foto: Polícia Civil - Imprensa

A Operação Laranja Mecânica é considerada a maior operação de combate à lavagem de dinheiro já realizada pela Polícia Civil

Na manhã desta quarta-feira (07/10) a Polícia Civil desencadeou a Operação Laranja Mecânica, que visa combater a lavagem de dinheiro oriundo do narcotráfico no Rio Grande do Sul. Na ação conjunta do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos (GIE) e a 3ª Delegacia de Investigação do Narcotráfico (3ª DIN), do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (DENARC), foram cumpridos 46 mandados de busca e apreensão, o sequestro de 19 bens relacionados ao tráfico, 15 mandados de prisão preventiva e 13 de condução coercitiva nas cidades de  Porto Alegre, Viamão, Canoas, Santa Maria, Santo Antônio da Patrulha e também em Florianópolis/SC. Na ação foram presas 12 pessoas e apreendidos diversos veículos, entre eles diversos táxis, grande quantidade de dinheiro, arma, drogas e uma grande variedade de documentos relacionados ao grupo criminoso.

Segundo o delegado Emerson Wendt, diretor do Denarc, o grupo criminoso, alvo da operação, movimentou mais de 18 milhões de reais no últimos três anos. "Os bens móveis e imóveis que estão sendo sequestrados hoje chegam ao valor de mais de 5,5 milhões de reais.", informa o delegado Wendt.

O delegado Rafael Pereira, que deu início às investigações, identificou o tráfico de drogas que era movimentado pelo grupo criminoso. "A investigação descobriu que eram organizadas festas nas quais eram feitas venda de ingressos para pessoas presas ou moradores de rua, as quais não poderiam estar nesses eventos", afirma o delegado Rafael.

Durante o segmento das diligências, foi detectado que o grupo utilizava o transporte público (táxis) para a lavagem de dinheiro e para facilitar a logística do narcotráfico. " Os 18 milhões de reais foram movimentados por cerca de 12 empresas de fachada, que foram abertas e fechadas ao longo dos três últimos anos" conta o delegado Márcio de Abreu Moreno, da Divisão de Inteligência do DENARC. 

Participaram da ação 370 policiais de todos os departamentos da Polícia Civil. Após os procedimentos de polícia judiciária os presos foram encaminhados ao sistema prisional.